Terceirização de Serviços, seus encantos e a Reinvenção.

admin Julho 11, 2018
 Terceirização de Serviços, seus encantos e a Reinvenção.

Atuo no mercado de terceirização há mais de 15 anos. No início não tinha ideia da dimensão deste segmento. Um dos segmentos que mais crescem no Brasil e que tem muita estrada para caminhar em busca de ter o seu devido valor reconhecido. Um segmento encantador, porém com muitos desafios de sobrevivência.

Nestes anos vivenciei várias adaptações do segmento aos diversos intemperes econômicos, intervenções trabalhistas, necessidade de atendimento aos novos conceitos de clientes. Alguns amigos de outras empresas sucumbiram por essa necessidade de se reinventar.

Aliais, Reinventar tem sido meu lema de carreira. Neste mundo globalizado quem não se reinventa é engolido pelas perspectivas não atendidas. Um amigo me enviou uma frase de Alvin Toffler que traduz a atual realidade das nossas carreiras: “O analfabeto do século XXI, não é aquele que não sabe ler e escrever, mas aquele que não souber aprender, desaprender e aprender novamente.” Por isso aprender, desaprender e aprender novamente, faz parte do processo rumo ao sucesso.

Tenho visto muitas empresas no segmento que atuo, não conseguirem enxergar minuciosamente esta necessidade e por isso estão sofrendo, como nunca sofreram, as consequências da crise. Vislumbrando essa oportunidade criei o Grupo Hir, com a finalidade de atender essas novas necessidades do cliente do século XXI, que não tolera problemáticas simples do cotidiano, como a falta do pagamento de um salário, um benefício, um uniforme. Trabalho incansavelmente para que os clientes do Grupo Hir possam descansar do saber que seus negócios, seus familiares, sua residência está nas mãos de pessoas competentes, que trarão somente a solução necessária para ele.

Por isso nosso Centro de Formação e Treinamento, acompanha as necessidades dos nossos clientes de forma preventiva, pois na prestação dos serviços de terceirização, já tão manchado por maus profissionais, não se pode trabalhar pensar apenas em gestão corretiva, pelo contrário, deve-se trabalhar totalmente voltada para a prevenção.

Mas esse é assunto para outro artigo.

Um Abraço,

Daniel Hir

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *